domingo, 21 de setembro de 2014

O DESESPERO BATE NA CAMPANHA DO PT

Um exército de militantes com cargos públicos se organiza para elevar o tom da Propaganda eleitoral de Dilma e evitar um revés na urnas. Até o ex-presidente Lula entra na briga com um discurso mais radicalizado

Izabelle Torres (izabelle@istoe.com.br)
A eventual reeleição de Dilma Rousseff para a Presidência marcaria um recorde na história da República: nunca um partido político terá ficado por tanto tempo no poder. Nem mesmo os 21 anos da ditadura militar, com suas divisões internas e troca de grupos de comando, podem ser vistos com um período de direção partidária única, como seriam os 16 anos da era petista. O estilo da ação e a longevidade do PT no Palácio do Planalto claramente já deixaram marcas na máquina administrativa e política do governo. Ao longo de 12 anos, o número de cargos de confiança, por exemplo, saltou de 17 mil para 22 mil. Este universo de servidores, frequentemente nomeados por critérios políticos, criou uma estrutura de petistas aguerridos e abnegados, cujos salários e encargos fiscais consomem mais de R$ 200 bilhões por ano. Isso não é coisa para se desleixar. O risco de não ganhar as eleições já deixa esses servidores-militantes em desespero. A perda de poder em Brasília – ou, vá lá, da chance de praticarem seus ideais – assusta tanto quanto a perda dos cargos comissionados e a perspectiva de terem de a retornar a seus estados de origem para buscarem novos empregos. Hoje, os DAS (cargos de Direção e Assessoramento Superior) podem passar de R$ 20 mil mensais.
abre.jpg CLIMA TENSO
Na sexta-feira 19, Dilma se exaspera após coletiva à imprensa no
Palácio da Alvorada, num clima em que o PT exagera na dose dos
ataques aos adversários na corrida eleitoral
Este clima de tensão entre os servidores-militantes contaminou a campanha eleitoral e pode explicar boa parte do tom da propaganda petista, que passou a adotar o jogo bruto, com ataques exagerados aos adversários e alguma falta de discernimento entre o público e o privado. No início do mês, uma reunião na sede do partido, em São Paulo, se transformou em uma acalorada discussão sobre a participação mais efetiva dos funcionários públicos na eleição. No encontro, líderes do PT cobraram mais empenho de servidores comissionados e os exortaram a ir às ruas em favor da reeleição de Dilma Rousseff. O recado estava implícito. Quem não se mexer, tem o emprego ameaçado. Assim, o PT tem organizado caminhadas pelo País, a exemplo da que ocorreu em Brasília no último dia 13, em que grande parte dos cerca de quatro mil participantes era de funcionários públicos. Atos em prol da candidata do PT, como a reunião com artistas brasileiros, no último dia 15, viraram palcos quase exclusivos de ataques a adversários. Dilma aproveitou a oportunidade para, em tom agressivo, repetir diversas vezes que as propostas de Marina Silva, candidata do PSB, apresentariam riscos ao País. No mesmo dia, o exército de internautas petistas divulgava nas redes sociais críticas da classe artística à segunda colocada nas pesquisas.
Na semana passada, uma manifestação de homenagem a Petrobras capitaneada pelo ex-presidente Lula ilustrou bem o atual momento da campanha. Suado e descabelado, Lula esbravejou ao pedir apoio dos militantes. Disse que é preciso proteger a estatal contra Marina Silva, afirmando que ela não conhece e não dá importância às riquezas do pré-sal. Antes do evento, em uma reunião rápida com o líder do Movimento dos Sem Terra, José Pedro Stédile, Lula conclamou o antigo aliado a se engajar na campanha. A resposta veio rápida. Em entrevista, na segunda-feira 15, Stédile prometeu realizar invasões e fazer protestos diários, caso Marina vença a eleição. No comitê da candidata do PSB, a ameaça virou piada. “Entendo o temor deles, que vão ficar sem empregos”, respondeu o coordenador do comitê financeiro do PSB, Márcio França.
01.jpg Suado e descabelado, Lula esbravejou em evento da Petrobras
contra Aécio Neves e Marina Silva. Até o MST foi chamado para
ameaçar invasões em caso de derrota governista
Mas o comportamento da campanha de Dilma está longe de ser uma distração eleitoral. De olho num embate no segundo turno das eleições, os petistas voltaram a jogar pesado no horário eleitoral gratuito. Na TV, um locutor apareceu dizendo que, se eleita, Marina Silva vai tirar R$ 1,3 trilhão da Educação e extinguir o pré-sal. A peça publicitária foi exibida dias depois do polêmico vídeo que mostrava uma família com a comida saindo no prato, como conseqüência da proposta de autonomia do Banco Central apresentada por Marina. Diante dos ataques, a candidata do PSB entrou com três representações no TSE contra a veiculação das propagandas do PT. No documento, argumentou que sua imagem fora duramente atingida pela candidata adversária, que teria apresentado um dado fraudulento com o propósito de incutir o medo nos eleitores. O mérito ainda não foi julgado, mas conta com o parecer favorável do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que viu intenção deliberada dos petistas de criarem “artificialmente, na opinião pública, estados mentais, emocionais ou passionais”, o que é vedado por lei. Para ironizar também o candidato do PSDB, Aécio Neves, que tem dito que o sonho dos brasileiros é morar no País retratado pela propaganda ilusória de Dilma, os petistas levaram ao ar um personagem denominado Pessimildo, um boneco rabugento que faz troça dos críticos do governo e foi inspirado em figuras conhecidas da televisão com o objetivo de satirizar todas as críticas feitas à petista. A principal linha do discurso do personagem é responder ponto a ponto os programas eleitorais dos adversários.
Enquanto a campanha do PT foca-se no ataque pessoal aos adversários, crises internas afetam a própria candidata do partido. No final da última semana, a presidenta Dilma pediu a suspensão da divulgação de seu programa de governo após impasse com alas do PT que defendem idéias contrárias à posição do Planalto. A intenção inicial dos petistas era a de incluir no texto propostas com grande apelo eleitoral e que pudessem atrair categorias diversas de eleitores, como o fim do fator previdenciário e a redução da jornada de trabalho. Dilma, entretanto, resiste em defendê-las. Apesar de não declarar publicamente, o governo evita há pelo menos quatro anos que a proposta do fim do fator previdenciário seja votada no Congresso. O Planalto enfrenta pressão das centrais sindicais, mas nunca se comprometeu com a ideia da redução da jornada de trabalho. Ao saber por assessores das propostas para trabalho e emprego, Dilma pediu o adiamento da divulgação do programa.
02.jpg No horário eleitoral, PT usa personagem denominado Pessimildo
para ironizar adversários, enquanto a propaganda do
partido retrata um país sem defeitos
Enquanto a campanha montada pelos marqueteiros adere ao radicalismo e reflete parte do desespero de gente agarrada ao poder, Dilma Rousseff segue tentando transparecer tranquilidade e segurança. Na vantajosa posição de atual presidenta, ela usa o Palácio da Alvorada como comitê de campanha sem que a Justiça Eleitoral faça sequer uma advertência. Em uma única semana, recebeu estudantes, reitores de universidades e concedeu duas entrevistas como candidata sentada na cadeira presidencial. O cenário é alentador para os milhares apadrinhados que tratam a estrutura pública como se fosse privada do partido e consideram positivo mostrar uma Dilma forte e em posição de superioridade em relação aos demais concorrentes.
IEpag46a49_Dilma-3.jpg

POLÍCIA FEDERAL DESCOBRE QUE CUBANOS USAM DIPLOMA FALSO, NUNCA SE FORMARAM EM MEDICINA


 
A Polícia Federal descobriu grande quantidade de diplomas falsos entre médicos cubanos do “Mais Médicos”, programa eleitoreiro do PT na tentativa de eleger o Alexandre Padilha a governador de SP. Alexandre Padilha é aquele que comprou viagra superfaturado no MS com o dinheiro do SUS.
   
Esses falsos médicos descobertos não cursaram medicina alguma! Existem “médicos” inscritos no programa que nunca sequer cursaram medicina!
 
A Polícia Federal deflagrou a operação contra um esquema de fraude na emissão de diplomas falsos de medicina que eram revalidados para o exercício da profissão no Brasil e participação no programa Mais Médicos.

De acordo com a PF, as investigações tiveram início depois que a Universidade Federal do Mato Grosso entrou em contato com universidades bolivianas (Universidad Nacional Ecológica, Universidad Técnico Privada Cosmos e Universidad Mayor de San Simon), que confirmaram que entre os inscritos no programa de revalidação, 41 nunca foram alunos ou não concluíram a graduação nessas instituições.

Na análise dos documentos, a Polícia Federal constatou que desses 41 inscritos, 29 foram representados por advogados ou despachantes que fizeram a inscrição dos supostos médicos no Programa Revalida. Ainda de acordo com a PF, os acusados vão ser intimados a prestar esclarecimentos e poderão ser responsabilizados pelos crimes de uso de documento falso e falsidade ideológica.

Perguntado sobre a operação, após participar do programa Bom Dia, Ministro, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse não ter conhecimento da operação, mas considerou positiva qualquer atitude para coibir fraudes. “Uma ação como essa é muito bem-vinda”, frisou.

“Quando o ministério recebe a documentação do Mais Médicos, ele repassa a lista para a Polícia Federal para que ela faça algum tipo de checagem e não só da documentação, mas dos antecedentes das pessoas que procuram se inscrever. Essa checagem feita pela Polícia Federal e também uma operação como essa podem contribuir fortemente para que não exista qualquer tipo de fraude ou tentativa de inscrição no programa de profissionais que não seja médicos. Estamos sendo muito rigorosos”, acrescentou o ministro.

OROBÓ: VARJÃO VENCE A PONTE PRETA NA ABERTURA DO CAMPEONATO OROBOENSE

Varjão 1x0 Ponte Preta, este foi o placar na abertura do Campeonato Oroboense de Futebol 2014, jogo realizado no campo da cidade de Orobó, neste domingo, (21).










FESTAS E EVENTOS EM OROBÓ NESTE DOMINGO

08hs – Campo da cidade Início do Campeonato oroboense
10hs – Bar do Peixe/Sítio Feijão – Zé Cantor e Amantes é Massa – Portão aberto
15hs – Vila Matinadas – Reunião Política
19hs – Vila da Sardinha/Caiçaras – Zé Cantor  e o Encontro de Quadrilhas Juninas

A BANQUEIRA DO PT ESTÁ NA CADEIA

Kátia Rabelo, presa por participar do mensalão do PT

FOLHA

Leonardo Souza

A banqueira de Marina é socióloga e educadora, autora de mais de dez livros, um deles ganhador do prêmio Jabuti na categoria de melhor livro didático. A banqueira de Marina é fundadora do Cenpec (Centro de Pesquisa para Educação e Cultura), referência nacional na produção de material didático, na formação de professores e na avaliação de escolas.

Maria Alice Setubal anda de cabeça erguida e é festejada nos principais salões do país e no meio acadêmico como alguém que se dedica a melhorar a qualidade do ensino brasileiro. Especificamente nesta eleição, o “azar” de Neca, como Maria Alice é conhecida, foi nascer filha do dono do Itaú, Olavo Setubal, morto em 2008.

E a banqueira do PT? Onde está a banqueira do PT? As pessoas esqueceram quem é a banqueira do PT? Pois a banqueira do PT dorme num banco de concreto na penitenciária José Maria Alkimin, em Minas Gerais. Dona do Banco Rural, Kátia Rabello (foto) presidia a instituição à época do mensalão. Como presidente do Rural, segundo a Procuradoria-Geral da República, ela negociou os empréstimos que alimentaram os cofres do PT e o valerioduto para a compra de apoio da base aliada ao governo Lula no Congresso.

Neca Setubal entra pela porta da frente onde quiser. Kátia Rabello era recebida às escondidas pelo então ministro José Dirceu, mensaleiro-mor, preso na Papuda. Kátia Rabello foi condenada por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e evasão de divisas. Sua pena foi estabelecida em 16 anos e 8 meses de prisão, mais o pagamento de R$ 1,5 milhão em multas.

A banqueira do PT é a primeira banqueira na história do país a ser condenada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Ela está impedida de exercer cargos públicos, de gerir instituições financeiras e de comandar conselhos de administração por um período correspondente ao dobro da pena privativa de liberdade que lhe foi imputada.

Ao contrário de Marina, que pode (e deve) se orgulhar de fazer campanha com a ajuda de Neca, Dilma Rousseff, se quisesse encontrar a banqueira de seu partido, teria de encarar a fila da penitenciária juntamente com os parentes e amigos dos demais detentos.

As visitas sociais na unidade prisional José Maria Alkimin ocorrem de forma alternada, aos sábados e domingos, das 8h às 17h. Os visitantes, contudo, devem ser cadastrados e aprovados pelo NAF (Núcleo de Assistência à Família), no centro de Belo Horizonte.

SERTÃO CENTRAL RECEBE PAULO CÂMARA E FERNANDO COM SOL E MUITA ALEGRIA

Foto Aluísio Moreira_2
Cedro, Serrita e Parnamirim mostram a força da Frente Popular na região, com grandes eventos
Nem mesmo sol ardente do Sertão Central desanimou a população dos três municípios que abriram o giro realizado pelo candidato ao Governo Estadual pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), na região. Acompanhado de seu companheiro de chapa Fernando Bezerra Coelho (PSB), o socialista foi recebido efusivamente nas cidades de Cedro, Serrita e Parnamirim, na tarde deste sábado (20).

Em Cedro, cidade que deu 96% de seus votos a Eduardo Campos, em 2006, Paulo destacou o compromisso do prefeito Neguinho (PSB) com a continuidade do trabalho iniciado pelo ex-governador. "Você foi um dos primeiros a estar com a gente, ainda na pré-campanha. Gestos como o seu ficam no nosso coração para o resto da vida. E eu vou retribuir com muito trabalho por este município”, garantiu o candidato.

"Ouvi da boca de Eduardo que Paulo será um governador ainda melhor que ele, pois chegará ao cargo com mais experiência, mais preparo, e vai encontrar um Estado arrumado. Então peço a vocês, meus conterrâneos, vamos transferir aqueles 96% de votos para este que vai avançar ainda mais, no caminho da continuidade", convocou Neguinho.

Fernando Bezerra Coelho lembrou que o prefeito de Cedro, além de se engajar na campanha no primeiro instante, também chamou os colegas da região a se empenharem como ele. "Lembro de você, Neguinho, em uma reunião com outros gestores, em Salgueiro, dizendo que cada um deles precisava assumir sua responsabilidade. Você estava conosco, quando estávamos lá embaixo. Imagina, agora", discursou o candidato ao Senado.

Logo depois, a chapa majoritária seguiu para Serrita. Lá, um mar de carros e motos acompanhou Paulo e Fernando em uma carreata que tingiu de amarelo as principais vias do município. Junto aos candidatos estavam o prefeito Carlos Cecílio (PSD) e o presidente do PSB municipal, Rogério Canejo. Ambos são adversários no plano local, porém deixaram as diferenças de lado, em defesa da continuidade e do avanço do trabalho da Frente Popular, que vem mudando Pernambuco.

De Serrita, a comitiva seguiu para mais uma carreata, desta vez, em Parnamirim. Na cidade, a maioria das lideranças políticas está com Paulo, entre elas, o prefeito, Ferdinando Carvalho (PSD), e seus antecessores Fernando Cabral (sem partido) e Moisés Sampaio (PR). Essa união ficou evidente na festa que reuniu cerca de 400 veículos, entre motos e carros, e levou a população às portas e calçadas, para declarar seu apoio à Frente Popular.

"Parnamirim sabe reconhecer o que foi feito pelo município e sabe retribuir, também. Está carreata mostrou que a grande maioria da cidade está com a Frente e vai agradecer nas urnas o que Paulo e Eduardo fizeram por nos", afirmou Nininho.

EM BARREIROS E RIO FORMOSO, ARMANDO DEFENDE RECUPERAÇÃO DA MATA SUL

A recuperação econômica da Mata Sul, com a atração de empreendimentos industriais e a diversificação das atividades, foi o mote da passagem do candidato Armando Monteiro (PTB) por mais duas cidades da região na tarde desta sexta-feira (19). Tanto em Rio Formoso quanto em Barreiros, Armando denunciou a omissão do governo do Estado com relação a ações de estímulo à economia. "A Zona da Mata está abandonada", disse o petebista.

Em Rio Formoso, Armando participou de uma animada caminhada pelas principais ruas da cidade, acompanhado do prefeito Hely Farias (PTB) e de candidatos proporcionais, além do senador Humberto Costa (PT). Uma presença que chamou a atenção foi a dos pais do candidato, Maria do Carmo e Armando Monteiro Filho.

Já em Barreiros, cerca de 2 mil pessoas caminharam pelas ruas do Centro ao lado de Armando, Humberto Costa e o ex-candidato a prefeito Beto da Sensação (PTB). Armando foi recepcionado com entusiasmo por toda a população, sendo bem recebido inclusive no comitê do PSB de Barreiros, onde recebeu muitos cumprimentos.

"Eu conheço essa região, as pessoas, os problemas, as soluções", afirmou Armando. "Precisamos criar um novo polo de desenvolvimento para que os empregos cheguem à região. A Zona da Mata é a área menos favorecida do Estado porque o governo foi omisso", disse o candidato, garantindo a instalação de escolas técnicos na região para capacitar a população.

Armando aproveitou para fazer uma crítica ao palanque adversário: "Tem um candidato que diz que tudo que foi feito no Estado foi ele quem fez. No próximo debate, vou perguntar a ele se tudo o que não foi feito também foi ele que não fez. Vamos botar na conta dele também o que não foi feito".